Provável procissão de lançamento da pedra fundamental da Igreja São Judas Tadeu, realizada no dia 29 de junho de 1951.O terreno para a construção da Igreja de São Judas Tadeu foi doado pelo sr. Hércules Leis. Uma associação foi formada pelos devotos de São Judas Tadeu para dar início a construção da Igreja. Faziam parte desta associação os srs. Antonio Peres Guimarães, Vicente Silveira Morais, Alberto de Sousa Cardoso, Vitório Guiti, Hercules Leis, Sebastião Pacheco, Pedro Giannecchini, Antonio Gasperazzo, Arcilio Gobbi e Clemente Loureiro.

O então Bispo Auxiliar e Vigário Geral do Arcebispado, Dom Paulo Rolim Loureiro, aprovou a construção da nova igreja em Itu e solicitou a associação que o terreno fosse primeiramente doado a Mitra Arquidiocesana de São Paulo, antes de iniciar as obras do templo. A partir daí, deu-se início a construção do templo em 1951.

p2No dia 29 de junho de 1951, dia de São Pedro, foi colocada a pedra fundamental. Uma missa foi celebrada às 08h30, na Igreja Matriz Nossa Senhora da Candelária pelo Padre Joaquim Clemente Bueno de Medeiros onde a imagem de São Judas Tadeu, doada por Norma Theresa Bruni, foi solenemente benzida. Em seguida, devotos seguiram em romaria ao local onde a Igreja São Judas Tadeu iria ser edificada, no bairro Rancho Grande, para a colocação da pedra fundamental.

Em 11 de novembro de 1951, foi celebrada a 1ª missa campal sobre os alicerces da futura Igreja.

A igreja de São Judas Tadeu ficou subordinada à Paróquia Nossa Senhora da Candelária até ser desmembrada e instituída paróquia no dia 30 de outubro de 1957 pelo arcebispo metropolitano de São Paulo, Carlos Carmelo de Vasconcellos Motta.

Neste mesmo ano, o reverendo arcebispo comemorava 25 anos do seu episcopado, e em comemoração mandou criar 25 novas paróquias, entre elas, a paróquia São Judas Tadeu de Itu.

No ano de 1967, é criada a Diocese de Jundiaí, desmembrada das Arquidioceses de São Paulo e Campinas, passando então, a cidade de Itu, a pertencer a nova diocese.